O italiano Luca Trapanese, de 41 anos, que sempre trabalhou com pessoas com deficiência, tinha um sonho: construir sua própria família. Ele, que é gay e católico, adotou no ano passado uma menina com Síndrome de Down, rejeitada pela própria mãe e por outras famílias.

Alba, que hoje tem 18 meses, chegou na vida de Luca quando tinha apenas um mês, após ser abandonada 20 vezes. Pois é, a menina que ninguém queria foi, para ele, a filha que sempre desejou.

Quando Luca recebeu uma ligação do tribunal, dizendo que haviam encontrado uma criança para ele, e que ela tinha Down, não pensou duas vezes, correu imediatamente para o hospital buscá-la.

VEJA:   Bohemian Rhapsody vai estrear na China com cenas de conteúdo homossexual cortadas

A vida do homem mudou tanto com a chegada da menina, que ele resolveu escrever um livro contando toda sua difícil jornada. “Nata per Te”, ou seja, “Nascida para Ti, fala de sua vida e de Alba, que ele define como uma criança “muito alegre, que gosta de dançar e brincar o dia todo”.

“Ela me trouxe felicidade. Me preenche. Tenho orgulho em ser pai dela. A Alba nunca foi a minha segunda escolha. Queria que ela fosse a minha filha”. Ele sabe bem das dificuldades de ser pai solteiro, mas relata: “Tenho colegas cujos cônjuges trabalham todo o dia e passam também igualmente por muitas dificuldades”.