É bastante provável que você já tenha ouvido falar da banda Faith no More, ou ouvido algum de seus sucessos dos anos 90 como Epic, Small Victory ou Easy, essa última um bem sucedido Cover dos Commodores. Mas será que já ouviu falar da banda Mr Bungle? Ou da banda Fantômas? Talvez já tenha ouvido falar da banda Tomahawk? O ponto em comum entre essas e muitas outras bandas é que elas têm o mesmo vocalista. Quero aproveitar o recente lançamento da banda Tomahawk, o disco Tonic Immobility, que mantém o estilo original da banda que já tem 5 discos lançados, para falar sobre um de meus artistas favoritos. Senhoras e senhores, lhes apresento Mike Patton, um dos maiores e mais influentes vocalistas do planeta!

Nascido na cidade de Eureka, na Califórnia, em 1968, Michael Allan Patton era um garoto de cidade pequena com bastante tempo livre na sua juventude e que conheceu, enquanto no ensino médio, músicos geniais como o baixista Trevos Dunn e o guitarrista Trey Spruance com os quais montou a banda Mr Bungle ainda na adolescência.

mike patton

O Mr Bungle compunha músicas que misturavam vários estilos musicais como metal, ska, punk, jazz, entre outros e, em muitas ocasiões, essas misturas aconteciam dentro de uma única canção. A qualidade e complexidade da instrumentação e letras do Mr Bungle surpreendiam levando em conta que a banda era composta por integrantes adolescentes ou recém saídos da adolescência. As habilidades vocais de Mike Patton também se destacavam durante seu início no Mr Bungle, já que variava desde um vocal mais grave, selvagem e gutural, passando por trechos mais regulares e chegando à agudos extremos.

Foi em uma das apresentações do Mr Bungle que Jim Martin, guitarrista da banda Faith no More na época, se encantou com os talentos vocais de Mike e, como o vocalista Chuck Mosley tinha acabado de ser demitido do Faith no More, convidou Mike para fazer um teste no Faith no More.

Nas palavras dos integrantes do Faith no More publicadas em um dos livros sobre a banda, o teste “foi uma covardia” dada a qualidade vocal e a boa aparência de Mike Patton. O primeiro disco com Mike nos vocais(The Real Thing) já tinha a parte instrumental gravada pelos outros integrantes da banda e ele precisou apenas adicionar as letras e melodias vocais, que foram entregues em apenas uma semana. O disco fez muito sucesso, especialmente na Inglaterra, e rendeu um disco ao vivo e um VHS de um show desse mesmo disco ao vivo, ambos gravados em Londres, no Brixton Academy.

mike patton

Os outros discos do FNM tiveram uma nítida maior participação de Mike Patton no processo de criação das músicas o que os tornaram muito diferentes do primeiro com o vocalista e, mesmo não tendo o mesmo sucesso, ainda hoje são considerados muito influentes, especialmente o disco Angel Dust. Com Mike nos vocais a banda lançou 6 discos de estúdio, o mais recente em 2015, quase 18 anos depois do anterior.

No seu início com o Faith no More, Mike sempre tentava promover sua primeira banda, Mr Bungle, usando camisetas da banda em clipes e entrevistas. Entre algumas gravações com o FNM, Mike fechou contrato com a Warner Music para gravar 3 discos com o Mr Bungle. O primeiro disco homônimo foi produzido pelo grande John Zorn, famoso pelos discos experimentais, e que fez um trabalho fenomenal, visto que é um disco bastante complexo, com muitos instrumentos diferentes, detalhes de percussão, sopros e passagens entre as músicas que lembram gravações caseiras, como trechos de áudio de filmes pornôs ou de uma ida ao banheiro bastante barulhenta.

Além do homônimo já citado, O Mr Bungle lançou Disco Volante, que consegue ser bem mais experimental que o primeiro, mas é claramente mais maduro que o primeiro. O terceiro disco se chamou California e traz um som mais “pop”, com músicas mais num estilo convencional, mas que ainda é diferente e com muita qualidade e criatividade.

Em 2020 Mike se juntou ao guitarrista e baixista da formação original do Mr Bungle e incluiu Scott Ian(Anthrax) e Dave Lombardo(Slayer) para gravar um disco com músicas da demo chamada The Raging Wrath of the Easter Bunny, lançada pelo Mr Bungle em 1986, incluindo músicas recém compostas pela banda com essa mesma formação. Esse disco já tem músicas de metal mais extremo e pesado de uma qualidade espetacular e que surpreende ao nos fazer pensar que foi gravada no meio dos anos 80 por garotos de 17/18 anos de idade.
Mike Patton ainda criaria a banda Fantômas com o baixista do Mr Bungle, Trevor Dunn, Dave Lombardo, baterista do Slayer já citado acima, e Buzz Osborne do Melvins.

VEJA:   Laboratório Cult | A sensibilidade visceral de Eveline em 'Animais e Fronteiras'

O Fantômas conseguiu estrear um experimentalismo um pouco mais complexo onde o vocal funciona como um instrumentos na banda e não cantando as letras das músicas como estamos acostumados. Fantômas lança 5 discos, entre eles o primeiro disco homonimo, depois temos The Director`s Cut, com temos musicais de filmes, Suspended Animation, onde os nomes das músicas são representados por datas, Delirium Cordia, que tem apenas uma música de 1:14hs de duração e um disco ao vivo tocando as músicas do segundo disco, The Director`s Cut Live.

Devido à dificuldade de conseguir gravadoras para lançar o Fantômas, já que não era um trabalho de fácil compreensão/digestão do grande público, Mike Patton criou sua própria gravadora Ipecac Recordings junto com Greg Werckman, ex-vocalista da banda Duh. A gravadora ainda existe e lança vários artistas do cenário alternativos como Crystal Fairy, Mouse on Mars, Melvins, etc.

mike patton

Outro trabalho bastante interessante de Mike Patton é a banda Peeping Tom, onde ele explora um lado mais pop, com elementos do hip-hop, misturados à guitarra, baixo e bateria, beat box e vocais femininas, uma delas tocando violino em algumas performances ao vivo. Vários artistas foram convidados para tocar/cantar nesse disco, inclusive a brasileira Bebel Gilberto.

Mike Patton ainda participou no DVD ao vivo do músico John Erik Kaada com vocais com melodias espetaculares, bem trabalhadas e com músicos competentes, como de costume nos trabalhos de Kaada, e com uma parte visual bastante interessante e bonita que aumenta o prazer de quem assiste à essa obra. Não satisfeito, ainda lança um disco com a banda Lovage onde participam Jennifer Charles, da banda Elysian Fields, Kid Koala(DJ) e Dan Nakamura, produtor do Gorillaz entre outras bandas.

Mike, que se casou com uma artista plástica italiana e morou na Itália por um tempo, gravou também um disco de músicas italianas chamado Mondo Cane(mundo cão, em italiano) acompanhado por uma orquestra e que rendeu shows por todo o mundo, inclusive no Brasil.

Mike Patton ainda gravou discos solos, inclusive um apenas de gravações de voz feitas em quartos de hotel durante as turnês com suas bandas, sem contar inúmeras participações em discos de artistas incríveis como Björk,  John Zorn, Dillinger Escape Plan, etc.

Trilhas sonoras de filmes/séries também fazem parte do currículo de Patton, como Crank 1/2, A Perfect Place, a série da Netflix chamada 1922, e fez a dublagem das vozes dos zumbis do filme Eu sou a Lenda. Participou como ator no filme Firecracker e como narrador do filme Bunraku. Mike ainda fez a dublagem de Nathan Spencer do jogo Bionic Commando, fez a voz dos zumbis do jogo Left 4 Dead e trabalhou com sua voz no jogo The Darkness. Esse ano ele gravou o tema do trailer do novo jogo das Tartarugas Ninjas: Teenage Mutant Ninja Turtles: Shredder`s Revenge.

Além do incrível poder de sua voz as performances de Mike Patton no palco são sempre muito marcantes em todas as apresentações que eu consegui assistir até hoje. Seu carisma com o público e sinceridade nas entrevistas também são atitudes conhecidas dos fãs do artista que ainda está em atividades nos palcos com seus trabalhos recentes já citados acima.

Conheci o trabalho de Mike Patton em 1991 quando ouvi Epic pela primeira vez na rádio, quando tinha 14 anos, e nunca mais consegui deixar de ouvir seus trabalhos. Recomendo com toda minha força que todos que estão lendo essa matéria abram suas mentes e ouçam alguns trabalhos desse que é um gênio musical que traz, não só música de qualidade, mas também músicas em vários estilos e para gostos variados.

Aproveitem!