Eis aqui um apaixonado pelas baixas e medias frequências de transmissão em FM, sim senhores, sou saudosista e ainda um consumidor assíduo de rádio.

Orientado pelo traço genético do meu pai, especialista em construir transmissores de rádios FM, vivi boa parte da minha infância entre antenas, placas e diversas estações de rádios, vi vários artistas consagrados pedirem oportunidades em rádios comunitárias, rádios piratas e rádios de baixo alcance.

Tive a oportunidade de ver momentos históricos com por exemplo, Mamonas Assassinas com seu projeto embrionário e totalmente desacreditado até cair na mão de Rick Bonnadio. De fato o rádio ainda é afetivamente ligado a mim e eu a ela.

Meu primeiro CD de rock veio das sobras de um incêndio de uma rádio, a primeira vez que vi os Racionais foi na porta de um estúdio que transmitia RAP na zona norte de SP, sim, são inúmeras histórias que são acessadas toda vez que é possível falar sobre o tema.

Entretanto, Lobão conseguiu me convencer, toda vez que sintonizo uma rádio hoje logo penso, “Ela adora me fazer de otário”. É impossível não se irritar com qualquer rádio hoje, até as melhores, até as mais tradicionais, até as mais clássicas, “Eu ligo o Rádio e Blá, Blá, Blá”.

Ninguém canta sobre política, sobre o cotidiano, sobre filosofia, sobre o sertão, sobre viagens, sobre comida, sobre trânsito, sobre futebol, sobre humor! Só existe uma fórmula pra rádio, a galera entra na fórmula, produz, publica e consome, tudo a mesma coisa!

“Não dá pra controlar”!!! “Eu ligo o Rádio e Blá, blá, blá, blá, blá… eu te amo”!!!

Volta Lobão, escreve algo novo pelo amor de Deus! Me deixa continuar a cultivar meu amor pelo rádio, não me isole de novos assuntos, não me ataque com a lobotomia fonográfica da qual não aprecio!!!

Me deixa curtir uma FM em paz!