Legion é uma adaptação dos quadrinhos sobre um personagem ligado ao universo dos X-Men. Seu protagonista David é filho de ninguém menos que o Professor Xavier com Gabrielle Halleruma paciente de um instituto para sobreviventes do Holocausto onde Xavier estava trabalhando. Ele é um mutante nível Ômega, uma espécie rara com poderes que parecem ultrapassar os limites conhecidos. 

Quando a história tem início ele está internado em uma instituição psiquiátrica, pois foi convencido que na verdade é um paciente com esquizofrenia e todas as experiências ligadas às suas habilidades na verdade são alucinações de sua mente. Durante a sua estadia no local ele conhece Sydney Barret, que possui o dom de trocar temporariamente de corpo com outras pessoas através do toque.  

Juntos eles vão gradativamente descobrindo que na verdade são prisioneiros de um grupo denominado Divisão 3, que procura estudar e isolar os mutantes, pois temem o seu impacto no convívio entre os humanos. 

O grande destaque para a série se resume ao seu visual, com sua montagem caleidoscópica aliada a uma trilha sonora idílica, trazendo algo totalmente diferente e ousado no que tange a adaptações de quadrinhos envolvendo super-heróis, especialmente os ligados ao universo dos famosos mutantes.  

A narrativa aparentemente desconexa permite que o espectador tenha empatia pelo protagonista, um ser em constante questionamento existencial que tem extrema dificuldade em separar, passado, presente, futuro, realidade ou fantasia, já que grande parte da história se passa na verdade dentro de sua mente, gerando uma espécie de fusão entre X-Men e Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças. O resultado final é extremamente interessante e definitivamente traz uma nova leitura para esse universo. 

A série inclui várias reviravoltas incluindo uma grande quantidade de personagens igualmente fascinantes ao casal protagonista, como um casal de irmãos gêmeos que compartilham do mesmo corpo, um arquiteto de memórias e um homem que vive dentro de um cubo de gelo inserido no plano astral e gosta de poesia beatnik 

É muito bom poder desfrutar de produtos como esse, que desafia o seu público a caminhar por caminhos tão tortuosos e fascinantes, deixando para trás o medo de se perder nessa realidade tão criativa.