Artistas do mundo todo estão investindo em lives durante esse período de isolamento social por causa do coronavírus. Além de uma forma de entreter o público, arrecadar doações e conscientizar para a importância de ficar em casa, as transmissões, em alguns casos, rende lucros para os próprios músicos.

Quem não concorda muito com o esse tipo de “esquema” das apresentações online é o Racionais MC’s. O grupo, liderado por Mano Brown, recusou um cachê de 100 mil reais para fazer um show ao vivo.

Os artistas dizem que estão inseguros com a situação atual em relação à pandemia. Segundo os próprios músicos, não dá para querer “resolver” um problema tão sério como esse com lives.

“Quando uma marca me oferece R$ 100 mil para fazer uma live, com a possibilidade dessa live arrecadar algum tipo de doação para doar para alguém, eu sinto dor de estômago quando recebo não”, revelou Eliane Dias, CEO da Boogie Naipe, empresária dos Racionais MCs e Mano Brown em entrevista ao “N3gócio que eu quero”, podcast do Canal Futura.

VEJA:   O preço da ética em Perfume de Mulher

A empresária também disse ainda que o grupo está muito triste com tudo que está acontecendo e muito inseguros com a questão da quebra do isolamento, já que seriam necessárias, no mínimo, oito pessoas para realizar a transmissão.

“Fiquei ausente da Rede por entender que a voz que precisa ser ouvida nesse momento é a Da consciência e dos cientistas. médicos e autoridades da Saúde, me sinto Impotente e não posso negar a raiva que eu tenho desse presidente que faz piada em cima das mais de 1100 mortes do dia de ontem” , escreveu Mano Brown em uma publicação em sua conta no Instagram.

Sobre as lives, o grupo divulgou um comunicado oficial: “Em respeito ao momento que o mundo está passando informamos que estamos em casa seguindo as orientações da OMS e por isso não temos lives shows programadas na agenda”.