Quando era pequena, a fotógrafa Yagazie Emezi foi atropelada por um carro e acabou ficando com uma marca que carrega até hoje. Por causa do acidente, a nigeriana sempre se interessou por cicatrizes, tanto que resolveu criar um projeto incrível para ajudar pessoas a aceitarem suas marcas.

“Minha cicatriz sempre chamou atenção. Muita gente ficava olhando enquanto eu crescia, e isso me deixou rápida para encontrar ‘imperfeições’ nos outros, talvez para não me sentir sozinha“, revela Yagazie. Ela conta que passou dois anos só vestindo calças para esconder a marca.

“Relearning Bodies”, como é chamado o projeto, nasceu para tentar entender o processo pelo qual as pessoas passam após graves acidentes. É um verdadeiro estudo pela fragilidade e resistência da forma humana e a aceitação do eu nas comunidades africanas.

VEJA:   Um projeto sobre flores, amores e poesia

A fotógrafa revela que durante uma das sessões, que continuam em andamento, um caso específico chamou sua atenção. Eram duas irmãs e uma delas estava receosa em participar, mas ficou confiante ao ver as outras fotos do projeto. “Viu, eu te disse que você não era a única!”, exclamou a irmã, mostrando a importância da representatividade.

Confira!