No dia 29 de julho de 1890, Vincent Van Gogh tirava sua própria vida aos 37 anos de idade. Horas antes disso acontecer, o artista pintou sua última obra: o quadro “Raízes de Árvore”. Por todo esse tempo, o local exato onde essa floresta se encontrava era desconhecido, mas isso acaba de mudar.

Van Der Veen, diretor do Instituto Van Gogh, descobriu que a imagem pintada na tela veio de lugar perto de Auberge Ravoux, onde o holandês estava hospedado no vilarejo de Auvers-sur-Oise, que fica próximo de Paris.

“A luz do sol retratada por Van Gogh indica que as últimas pinceladas foram feitas no fim da tarde, o que nos fornece mais informações sobre o curso desse dia dramático”, revelou o especialista.

O quadro “Raízes de Árvore”, pintado horas antes da morte de Van Gogh.

O diretor contou que a descoberta aconteceu enquanto ele organizava alguns documentos antigos durante o isolamento por causa do coronavírus. Segundo ele, a obra era muito semelhante a um cartão postal que estava em meio aos arquivos.

VEJA:   Como seria a "parte de baixo" de obras famosas?

Van Der Veen decidiu levar sua descoberta ao Museu Van Gogh, em Amsterdã, onde seriam feitas diversas análises pelos pesquisadores.

“Em nossa opinião, é altamente provável que a localização identificada por Van der Veen seja a correta e é uma descoberta importante”, disse Teio Meedendorp, um dos especialistas. “Observando mais de perto, o crescimento excessivo do cartão postal mostra semelhanças muito claras com a forma das raízes na pintura de Van Gogh. Que esta seja sua última obra de arte, a torna ainda mais excepcional e até dramática.”