A dama do suspense policial Agatha Christie completaria 125 anos se estivesse viva. Para homenageá-la e preservar sua história, um grupo de estudantes criou um algoritmo capaz de descobrir qual dos personagens é o assassino em seus romances.

Para o desenvolvimento da pesquisa, os acadêmicos analisaram 27 dos 83 livros publicados pela autora e descobriram que a localização da história, formas de transporte e a natureza da morte da vítima são todas dicas importantes para solucionar.

Outra curiosidade é que quando o assassino era uma mulher, Agatha costumava sempre utilizar sentimentos negativos para apresentá-la a história. O mesmo não acontecia quando o assassino fosse do sexo masculino, nesses casos a escritora preferia utilizar termos neutros ou positivos para referir-se a ele.

VEJA:   Bordados, bordados e mais bordados incríveis

A maneira como o personagem foi morto também é um ponto muito importante e que merece atenção dos que querem desvendar os mistérios nas obras de Christie. Foi descoberto que em casos de estrangulamento, 75% das vezes o culpado pelo crime era homem e quando o assassinato acontecia em locais isoladas, 75% eram mulheres.

Se Agatha Christie realmente usava “fórmulas” ou tudo não passou de coincidência, nunca se saberá, o que já sabemos, é que a autora é uma das maiores representantes da literatura mundial e suas obras precisam continuar sendo apreciados pelas novas gerações.