Ana Lucia Prato perambula pela fronteira amazônica do Peru e do Equador e, ao longo do caminho, encontra um sem-fim de personagens que acabam sendo os heróis de suas gravuras. Adotando a técnica do woodburning, gravura de metal incandescente na madeira, traduz o contato e a harmonia dos indígenas com a natureza.

É inspirada principalmente pela espiritualidade e pelo cosmos da matéria, expressando-os em símbolos selváticos, acompanhados em diversas ocasiões por seu animal interior.

VEJA:   O trabalho impactante de uma dupla de artistas franceses sobre o meio ambiente

Suas criações são de um realismo muito fino, mas são banhadas em um manto mágico. A jovem artista autodidata desenha a dança deste realismo mágico em madeira 100% ecológica. Além disso, mantém uma aliança com a natureza: para cada quadro vendido, uma árvore é plantada na floresta amazônica.

Inspire-se!