Performático e minucioso, essas são as palavras mais intensas para descrever o Liu Bolin como artista. Liu ocupa sem dó todos os cantos possíveis que se pode habitar, seja um supermercado, uma livraria, o muro de lembranças do atentado de 9 de Setembro, Veneza, a Torre Eiffel, um muro graffitado, ou até mesmo uma galeria de arte em Roma.

Atualmente morador de Beijing, Liu é mais conhecido por lá como ”O homem invisível”. Toda a filosofia de seu trabalho trata de forma instigante críticas políticas e problemas sociais de uma forma bem alheia e ao mesmo tempo clara e gritante: Como podemos desaparecer estando a vista de todos? Pois hoje em dia, vivemos em tempos tão deploráveis e incrivelmente líquidos, como podemos deixar um poder tão pequeno em quantidade engolir um mundo cheio de corações e pulsações?

VEJA:   Da rua direto para as roupas

Ao invés de pintar muros, Liu usa e abusa de tais cenários e locações para sua performance, pintado da cabeça aos pés, de dentro do corpo para sua própria superfície.